Start Blog

Falta de segurança no e-commerce

O setor do comércio eletrônico cresceu de forma considerável no ano de 2020, obtendo alta no faturamento de 83,68%, e a tendência é que o setor continue crescendo, tendo em vista as mudanças tecnológicas e de comportamento dos consumidores, principalmente depois da pandemia. 

No entanto, parte da população ainda possui desconfianças em relação a compras online, com medo de serem vítimas de fraudes, ter seus dados roubados ou seu cartão clonado. Essa desconfiança é natural e está impede que o seu negócio conquiste mais clientes.

Desse modo, é necessário atentar-se para a questão da segurança no e-commerce, como proteção contra invasões, fraudes, vazamentos de dados etc. A segurança do e-commerce é um elemento essencial, tanto para a gestão do negócio, quanto para a manutenção e consolidação das relações com os consumidores. 

Nesse texto você encontrará algumas dicas relevantes para garantir a segurança do seu e-commerce.

      1. Invista em uma boa plataforma 

A plataforma é um sistema que tem por finalidade facilitar o gerenciamento da loja virtual, monitorando estoques, preços e a venda de produtos.

Desse modo, é importante investir em uma boa plataforma, que contenha a qualidade necessária e que possa fornecer a segurança necessária para o seu negócio. Algumas das características mais importantes que uma plataforma deve ter são: atualizações constantes; um bom suporte técnico; um layout que seja intuitivo e responsivo; e que permita a utilização de sistema de segurança, como o certificado Secure Socket Layer (SSL).

      2. Invista em selos de segurança

Investir em selos de segurança, ofertados por empresas que monitoram ações de vírus e fraudes, proporciona legitimidade e confiança ao seu site e sua relação com os consumidores, além de ter a certeza de que há um responsável pelo monitoramento da segurança do seu site. 

      3. Aposte em uma certificação SSL

A certificação SSL (Secure Socket Layer) é um sistema de segurança que realiza a comunicação criptografada entre um navegador de internet e um servidor. A finalidade desse mecanismo é a de aumentar a segurança dos dados compartilhados pela internet, fornecendo proteção extra ao seu site. 

O SSL protege dados pessoais dos consumidores e informações financeiras fornecidas para compras, desse modo, é essencial para os e-commerce, que lidam com uma quantidade massiva de dados pessoais de terceiros. 

Quando se adquire um certificado SSL, o URL do site passa a ter o formato HTTPS, além de exibir um cadeado, indicando que o site é seguro. O navegador Google Chrome exibe um aviso quando o site acessado não é seguro, assim, é possível identificar facilmente os sites que utilizam o mecanismo de segurança HTTPS.

Assim, além de garantir a confidencialidade e segurança dos dados, o certificado garante que os consumidores se sintam seguros acessando a sua página e fornecendo seus dados.

      4. Faça backups diários

É importante que você garanta que os dados da página e dos consumidores estejam guardados em ambientes seguros e não se percam, para em caso de falhas, você ter a possibilidade de recuperá-los, evitando perda de transações, de informações importantes e de conteúdo. 

Além disso, pode ser utilizada a técnica de espelhamento de servidores, por meio da computação em nuvem, que permite a criação automática de replicas entre servidores, acionando uma cópia sempre que algum deles apresentar alguma falha.

      5. Verifique a vulnerabilidade do site

É importante que haja um responsável por verificar regularmente as vulnerabilidades da sua página, garantindo que os sistemas de segurança utilizados estão funcionando regularmente e protegendo os seus dados de forma efetiva. 

Para isso, crie um referencial de senhas fortes, para que ao efetuar o cadastro, o consumidor não utilize uma senha que possa facilmente ser roubada. Além disso, invista em softwares que fazem a blindagem do site, garantindo sua segurança contra hackeamentos e invasões. 

Por fim, é interessante, também, investir em uma hospedagem dedicada ao seu negócio, protegendo o seu site de ataques de crackers massivos, além de garantir que a sua página carregue mais rapidamente. 

      6. Garanta o controle de acesso

É comum que os vazamentos de dados e invasões ao site ocorram por meio de acesso privilegiado, alguém que tem acesso às ferramentas de compartilhamento de arquivos em nuvem, por exemplo, seja alguém de dentro da equipe, ou alguém que já não faz mais parte da equipe, mas que não teve seu acesso cancelado. 

Desse modo, é muito importante manter o controle de acesso de funcionários a determinadas informações, bem como, manter um controle de senhas compartilhadas, promovendo sua mudança regularmente. 

      7. Ferramentas antifraude

Sistemas antifraude tem por finalidade aumentar a segurança do e-commerce por meio de mecanismos que analisam os dados da transação, identificando tentativas de fraude e golpe e bloqueando-as. 

Existem diversos tipos de fraude, mas essencialmente, no e-commerce, uma fraude ocorre quando uma pessoa efetua uma transação usando dados de um terceiro e a transação é autorizada pela instituição financeira, por haver saldo suficiente na conta desse terceiro. Assim, o produto é entregue àquele que realizou a fraude e o dono do cartão, o terceiro, recebe a fatura e contesta a compra que não efetuou, restando ao e-commerce arcar com o prejuízo financeiro. 

Segundo pesquisa realizada pela ClearSale, o segmento de e-commerce sofreu 403 tentativas de fraude por hora no ano de 2020, somando 3,5 milhões de transações potencialmente fraudulentas, sendo R$ 3,6 bilhões em tentativas de fraude no ano, a maioria delas em e-commerce.  

Para evitar esses casos, esse sistema faz a verificação antifraude após a aprovação da instituição bancária e da bandeira do cartão, atribuindo um grau de risco para a compra e bloqueando-a ou não. Desse modo, o sistema antifraude proporciona uma camada extra de verificação das compras e segurança da transação. 

O sistema, portanto, protege tanto o consumidor, quanto o e-commerce, reduzindo prejuízos financeiros, diminuindo o índice de chargebacks e garantindo a confiança do consumidor na sua loja online. 

Conclusão 

Investir na segurança do e-commerce é essencial, tanto para o negócio em si, quanto para cultivar o bom relacionamento com o consumidor, podendo, inclusive, ser uma estratégia de marketing para o negócio, que atrairá mais clientes e fidelizará aqueles que já consumiram na sua loja.

Escrito por Thales Farias.

Referências

ANTIFRAUDE para e-commerce: o que é e qual a importância? Pagar.me, 15 mar. 2021. Disponível em: https://pagar.me/blog/antifraude-para-ecommerce/. Acesso em: 19 mar. 2021.

CHAUSSARD, Cristiano. 5 fatores que garantem a segurança de um sistema de e-commerce. Flexy Blog, 30 mai. 2019. Disponível em: https://blog.flexy.com.br/5-fatores-que-garantem-seguranca-de-um-sistema-de-e-commerce/. Acesso em: 19 mar. 2021.

DELAVY, Eduarda. O que é certificado SSL e porque você deve utilizar no seu site. HostGator Blog, 04 jul. 2019. Disponível em: https://www.hostgator.com.br/blog/o-que-e-certificado-ssl-e-porque-voce-deve-utilizar-no-seu-site/. Acesso em: 18 mar. 2021.

TCHILIAN, Felipe. Brasil tem R$ 3,6 bi em tentativas de fraude. ClearSale, 10 fev. 2021. Disponível em: https://blogbr.clear.sale/confira-o-mapa-da-fraude. Acesso em: 19 mar. 2021.

Thales Farias

Thales Farias

Thales Farias é advogado pela PUCPR, entusiasta em criptomoedas, cofundador e COO da StartLaw, uma empresa de tecnologia que acredita no poder dos dados e da tecnologia para combater problemas na organização de informações jurídicas.

Thales Farias

Thales Farias

Thales Farias é advogado pela PUCPR, entusiasta em criptomoedas, cofundador e COO da StartLaw, uma empresa de tecnologia que acredita no poder dos dados e da tecnologia para combater problemas na organização de informações jurídicas.

voltar

próximo