fbpx

Pandemia muda perfil do consumidor e exige adaptação de empresas à nova realidade

Momentos de crise exigem estratégias para que sejam superados. Em um período de calamidade na Saúde Pública, o ecossistema brasileiro está passando por um amadurecimento significativo, com crescimento nas mais variadas modalidades de investimentos em startups estando a todo vapor. Na contramão do momento crítico que passam os setores financeiros mundial, dados do mercado Venture Capital (VC) no Brasil mostra que o volume investido de janeiro a abril deste ano em pequenas empresas é 20% maior do que foi feito no mesmo período no ano passado.

As mudanças no comportamento do consumidor e a facilidade de empresas brasileiras em se adaptar a essas realidades tem dado resultado. Especialistas apontam para as mudanças das pessoas quanto ao consumo de certos produtos, principalmente nos setores como de limpeza e higiene, que bateram o recorde de vendas. Com isso, houveram significativas mudanças nos modelos de negócios que, por sinal, estão sendo colocados à prova constantemente.

Por outro lado, o recorde no investimento em novas ideias foi detectado por meio do estudo “Inside Venture Capital Brasil”, cujo resultado mostrou otimismo fundamental para enfrentar a crise da pandemia de Covid-19, que atingiu os principais setores de várias organizações, independente do nicho de mercado. Só no mês de abril, o investimento em novos negócios foi 118% superior ao mesmo período no ano passado. 

O investimento que os jovens negócios estão recebendo também retrata a situação que as empresas do país estão vivendo. Levantamento realizado pela plataforma Crunchbase mostrou que aproximadamente sete em dez (69%) startups investidas na América Latina de 2019 até maio deste ano são brasileiras. Em todo o continente americano, esse número chega a apenas 10%. O amadurecimento do sistema brasileiro está ligado ao crescimento natural de tecnologia e inovação. 

Outro estudo da Crunchbase mostra que o Brasil vive tempos otimistas no empreendedorismo e na inovação, tendo sido o terceiro país que mais conseguiu transformar startups em unicórnios no ano passado – cinco novas empresas tiveram valor de mercado avaliado acima de R$ 1 bilhão de dólares. Apenas Estados Unidos e China superaram o país, com 78 e 22 startups respectivamente. 

Oportunidade para superação

Os resultados otimistas do Brasil mostram que é papel dos gestores a criação de estratégias e oportunidades para manter os negócios mais saudáveis. Alguns especialistas avaliam que o novo redimensionamento do mercado pode ser visto como fonte para outras oportunidades de consumo. A ideia é que a chamada “criatividade” ocupe o papel essencial para impulsionar empresas e manter a demanda.

A busca pela cura da Covid-19 também vem sendo um meio para produzir novas soluções para a saúde. Startups tem produzido Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) por intermédio das impressoras 3D, com o objetivo de melhorar os fluxos hospitalares, fortalecendo também, as deficiências do sistema. Fica evidente, portanto, a função essencial da tecnologia na evolução social e desempenho positivo desta em relação aos problemas que enfrentamos. Essa é uma das razões pelas quais está crescendo o investimento em Corporate Venture, com isso, as empresas maiores estão investindo nas menores, para obter novas ideias de mercado, estabelecendo novos nichos de consumidores.

De acordo com o co-fundador da StartLaw, Thales Farias, para sobreviver na pandemia, a tecnologia deve ser tratada como aliada e não como inimiga. Com isso, ‘se as pessoas não se especializarem a essa nova realidade, na sua maior parte de evolução digital, ela pode ter problemas em seu faturamento e na própria demanda’, afirma o entrevistado.

As startups possuem negócios mais resilientes em momentos de incertezas, nesse sentido, existem vários fundamentos que impulsionam as empresas na classe de ativos. No Brasil, investidores entenderam que a crise vai passar e estão aproveitando o momento para ingressar com novas oportunidades. 

Essas empresas são pequenas no que concerne ao porte mas são grandes no quesito aderência e conexões, acostumadas com o home-office, com orçamento mensal e equipes enxutas, entre outras características. Apesar dos problemas mundiais com a pandemia, novas soluções para problemas inseridos na sociedade estão surgindo.

Bolsa de Valores

O Nasdaq 100 é um dos índices de ações mais famosos do mundo. Com uma capitalização de mais de $ 7 trilhões de dólares, sendo uma bolsa de valores especializada em tecnologia, esse indicador vem tendo performance sólida desde a sua criação. Uma das empresas que está se destacando nesse tipo de investimento é o Zoom, que é uma companhia voltada a chamadas por videoconferência. No último mês de junho, a empresa teve uma alta de 1,45% na bolsa, a US$ 253,54. Dessa forma, as ações da empresa aumentaram 24,2% durante o mês passado.

O Mercado Livre foi uma das companhias que tornou o caos da pandemia uma série de oportunidades. Em maio, por exemplo, a companhia já estava realizando novos acordos de locação de galpões logísticos, que podem aumentar a capacidade da empresa em estoques de mercadorias. Com isso, a entrega de encomendas foi feita de maneira mais rápida.

Escrito pela Equipe StartLaw.

voltar

próximo